"O aborto é sempre um mal: para a criança porque é impedida de nascer; para a mulher que o pratica porque física e psiquicamente fica com marcas para o resto da vida; para o pai porque de uma forma ou outra (umas vezes é o impositor do acto, outras porque contra a sua vontade) acaba por carregar aquela culpa e dor; e para a Sociedade que assiste e tem dentro de si estes sofrimentos que tantas vezes geram agonias, danos, depressões e até violências diversas."

Isilda Pegado
Presidente da Federação Portuguesa pela Vida

A intervenção da Federação Portuguesa pela Vida pode enquadra-se nos seguintes três pontos:

APOIO SOCIAL: às mulheres (principalmente grávidas), crianças e famílias, através de uma rede nacional de organizações que providenciam aconselhamento, cuidados médicos e apoio material

ACÇÃO POLÍTICA: intervenção junto dos membros do Parlamento e das instituições públicas, salientando as necessidade dos valores da vida e da família e da promoção de uma CULTURA DE VIDA

EDUCAÇÃO de crianças, jovens e da população em geral, para uma cultura de vida e para a responsabilidade e dignidade da sexualidade humana. Neste âmbito desenvolvemos conteúdos educativos, estando presente em escolas e qualquer outro âmbito, promovendo conferências para os difundir.