O pai é indispensável para uma gravidez feliz.

Ter um filho é a experiência mais enriquecedora de um casal e deve ser vivida em conjunto, aprofundando e compreendendo a forma diferente de cada um viver a gravidez.

Muitas vezes o pai vive com tanta emoção a gravidez da mulher que é capaz de sentir sensações próprias da gravidez, já aconteceu pais enjoarem alimentos ou terem dores na altura do parto.

Independentemente dos teus receios (serei um bom pai, irá tudo correr bem, como vai ser a relação com a minha mulher, etc.), deves iniciar, desde logo, o teu relacionamento com o teu bebé. Fala com ele, desde cedo irá reconhecer a tua voz. Não percas as consultas e ecografias, pois estás a perder já parte do crescimento do teu filho. Envolve-te nas decisões das escolhas de decoração do quarto, roupas, etc. Apoia a tua mulher, acredita que para ela as transformações são muito mais radicais (a todos os níveis) e fala com ela sobre ti e tudo o que te preocupa.

Se queres participar no parto, mostra a tua vontade ao médico que acompanha a gravidez. A lei obriga a que qualquer estabelecimento facilite esta tua vontade, contudo, por motivo de falta de condições da maternidade, poderá não ser possível. Caso possas, não percas esta oportunidade. Para além de  ajudares a tua mulher, irás poder finalmente ter o teu bebé nos teus braços.

Não te esqueças que tens o direito ao subsídio ou à remuneração durante os 5 dias úteis de licença de paternidade e dos primeiros 15 dias de licença parental (imediatamente após o termo da licença de maternidade).

Muitas felicidades!

 

 

Federação Portuguesa Pela VIDA

www.federacao-vida.com.pt